Onde comprar passagem barata para os EUA?

Nova Iorque. Orlando. Miami. Califórnia. Independentemente do destino final, todo viajante que quer economizar busca saber onde comprar passagem barata para os EUA.

Afinal, foi-se o tempo em que uma passagem de ida e volta na promoção poderia ser encontrada por menos R$ 1 mil. Hoje em dia, para encontrar os melhores preços, é preciso fazer uma pesquisa em companhias aéreas ou estar atento às promoções encontradas por sites de viagens.

Pensando em facilitar essa tarefa, resolvemos indicar algumas formas de onde e como comprar passagem aérea para os destinos norte-americanos. Acompanhe!

Comprar passagem barata para os Estados Unidos

As principais empresas aéreas presentes nos estados brasileiros e que fazem viagens para os EUA são: Gol, Delta, American Airlines, Latam e United Airlines.

Para economizar na passagem é preciso estar de olho nos sites das companhias aéreas (Foto: pixabay)

Essas companhias lançam diversas promoções relâmpagos, dependendo da época do ano. Por essa razão, é possível encontrar passagens com até 60% de desconto em algumas situações.

Portanto, quem está planejando uma viagem com destino norte-americano, deve estar atento aos sites dessas empresas. Algumas delas permitem fazer cadastro para que o interessado receba as ofertas por e-mail.

Mas, além das próprias companhias, existem sites especializados em fornecer informações sobre promoções e comparar os preços entre diferentes empresas aéreas.

Um exemplo disso é o Skyscanner que busca os preços das viagens que você deseja fazer. Para isso, basta colocar o local de partida, de chegada e a data de ida e de volta.

Além desse site, o próprio Google tem uma plataforma que facilita a vida de quem quer economizar na passagem, chama-se Google Fligths. Sem contar no Passagens Imperdíveis que tem site e está presente, principalmente, no Instagram.

Dicas para os viajantes

Economizar dinheiro também requer esperteza, pois é importante saber qual a melhor época para viajar. Além de que dia e até mesmo o horário podem influenciar em preços baixos ou altos.

Fuja da alta temporada

Chama-se de alta temporada a época em que os turistas mais viajam, tanto para dentro como para fora do país. Nesses casos, há uma elevação dos preços devido à alta procura.

Então, quem deseja economizar deve fugir desses períodos que englobam os meses de janeiro, julho e dezembro, principalmente. Isso porque, eles coincidem com as férias. Feriados também devem ser evitados, pois o embarque costuma ficar mais caro nessas épocas do ano.

Encontre os melhores dias e horários

Os dias também costumam influenciar nos preços das passagens. Por essa razão, opte por embarcar em dias como terça, quarta e sábado, pois são os que possuem uma menor aglomeração.

Também dê preferência aos horários de menos fluxo nos aeroportos, como de 10h às 16h ou de 22h às 6h. 

Compre com antecedência

Geralmente, as passagens ficam mais caras com a proximidade do dia do voo. Portanto, compre com antecedência para economizar um bom dinheiro.

Compare os aeroportos

Os principais destinos dos brasileiros nos Estados Unidos são Flórida (Miami e Orlando), Califórnia (São Francisco e Los Angeles) e Nova Iorque (NY, sigla em inglês). Se você ainda não decidiu qual desses vai visitar primeiro, então é bom comparar os preços de acordo com os aeroportos.

Dependendo do dia em que se quer viajar, Miami pode sair mais em conta. Geralmente, é seguido por Orlando, São Francisco, Nova Iorque e Los Angeles.

Confira alguns dos principais aeroportos nos EUA:

  • Aeroporto Internacional de Los Angeles
  • Aeroporto Internacional John F. Kennedy (NY)
  • Aeroporto Internacional de São Francisco
  • Aeroporto Internacional de Orlando
  • Aeroporto Internacional de Miami
  • Aeroporto Continental LaGuardia (NY).

Principais dúvidas

Confira a seguir três dos principais questionamentos feitos pelos turistas brasileiros!

Qual aeroporto dos Estados Unidos é mais barato?

O site de viagens norte-americano, The Points Guy (TPG), fez uma pesquisa sobre os aeroportos mais baratos e mais caros da América. Como resultado, o Aeroporto Internacional McCarran, em Las Vegas, foi considerado o mais acessível, seguido pelo Aeroporto Internacional de Orlando (MCO).

Já o título de mais caro foi parar no Aeroporto Internacional Newark Liberty (EWR), localizando na Nova Jersey. Em segundo lugar está o Aeroporto Internacional John F. Kennedy (JFK), em Nova Iorque.

Quantas horas são do Brasil para os Estados Unidos?

A distância em linha reta entre o centro do Brasil e o centro dos Estados Unidos é de 7.308 quilômetros. Em um voo rápido (900km/h), o tempo gasto entre esses pontos é de aproximadamente 9 horas.

Além disso, o tempo de viagem vai depender do ponto de partida e do ponto de chegada. Por exemplo, de São Paulo para Nova Iorque o voo dura em torno de 10 horas. Já de Recife para Miami a duração é de pouco mais de 8 horas.

Qual preço em média de passagem aérea para os EUA?

Voos para os Estados Unidos podem custar a partir de R$ 1.500, mas também podem chegar a mais de R$ 5 mil. Como vimos, esse valor vai depender de diversos fatores como o ponto de partida, o destino final, o período do ano em que a viagem será feita etc.

Mas claro, se você deseja comprar passagem barata para os EUA, é importante estar atento a todas as dicas desse texto. Assim, a sua economia vai começar antes mesmo do embarque!

Posso devolver um produto comprado nos EUA?

É possível devolver produto comprado nos EUA, mas dependendo do estado onde a loja fica localizada, o retorno pode ser um reembolso, troca ou crédito no departamento.

Essa situação é bastante comum com os brasileiros que viajam para os Estados Unidos e se esbaldam nas compras. E há várias justificativas para a devolução como arrependimento, insatisfação com o produto ou até mesmo defeito.

Então, se você comprou algo e agora quer devolver, é preciso entender bem os direitos dos consumidores nos EUA. Além disso, é importante conhecer a política de devolução das lojas, pois cada uma possui uma metodologia específica.

Nesse artigo, vamos entender como funciona o direito de arrependimento dos três principais destinos dos brasileiros: Nova York, Califórnia e Flórida. Além de conferir a “Returns Policies” de lojas como Amazon, Walmart, Best Buy e Forever 21.

É possível devolver produto comprado nos EUA?

De acordo com a lei federal, os varejistas norte-americanos só são obrigados a aceitar devoluções caso o produto esteja com defeito. No entanto, muitos deles acreditam que estender a política de devolução para outros casos acaba melhorando os negócios.

A política de devolução das lojas norte-americanas garante reembolso aos clientes (Foto: pixabay)

Mas, além da legislação federal, os logistas também são regidos pelas leis estaduais. De uma maneira geral, os departamentos precisam expor com destaque as suas regras sobre a política de reembolso.

Confira a seguir o que três Estados estabelecem para os varejistas!

Nova York

As lojas são obrigadas a publicar suas políticas de reembolso, seja no próprio prédio do departamento, na nota fiscal ou em seus sites. Caso nenhuma dessas recomendações seja adotada, a lei determina que os estabelecimentos aceitem as devoluções e que sejam feitas no prazo de até 30 dias após a compra.

Flórida

Nesse estado estão localizados dois dos principais destinos dos brasileiros nos Estados Unidos, são eles Miami e Orlando. Portanto, faz-se necessário saber o que dizem as leis estaduais.

Na Flórida, as lojas que não oferecem reembolsos precisam exibir essa informação no local da venda. Caso isso não ocorra, o consumidor que quiser devolver o produto deve receber um reembolso total em até 20 dias após a compra.

Califórnia

Alguns departamentos da Califórnia podem oferecer ao consumidor o dinheiro de volta, a troca do produto ou o crédito na loja em até sete dias após a data da compra. Nesses casos, não é obrigatório publicar essas resoluções.

Contudo, se as lojas não disponibilizam essas garantias, precisam expor suas políticas de reembolso para que os clientes fiquem cientes no ato da compra. Se essa norma não for cumprida, o consumidor deve ter o seu pedido de reembolso atendido em sua totalidade no prazo de 30 dias após a compra.

Política de devolução de lojas norte-americanas

Seja de forma online ou física, as lojas possuem seus sistemas de devolução e reembolso. Levando em consideração as leis federais e estaduais, os varejistas se posicionam e oferecem algumas vantagens para seus clientes. Acompanhe a seguir quatro das principais lojas que os brasileiros compram fora do país!

Amazon

Tanto a Amazon como a maioria dos vendedores que trabalham junto a ela aceitam devoluções, mas apenas para produtos devolvidos em até 30 dias após o recebimento da entrega.

Para realizar esse processo, basta encaminhar o produto usando o Centro de Devoluções Online (Online Returns Center). Segundo a própria empresa, pode levar até 25 dias para que o item chegue até ela. Apesar disso, leva apenas 2 dias úteis para o cliente ser reembolsado.

Outro detalhe importante é que os custos da postagem de devolução devem ser de responsabilidade do consumidor. Em seguida, a Amazon irá lhe reembolsar com até US$ 20.

Walmart

Já o Walmart garante o reembolso ou a substituição de itens, principalmente se estes foram comprados com danos ou defeitos. A mercadoria deve ser enviada pelos correios ou devolvida em uma loja da rede.

No entanto, para concretizar o pedido, o produto deve ser encaminhado com a embalagem original do fabricante. Por essa razão, a empresa recomenda manter a embalagem por pelo menos 90 dias após a compra.

Uma informação que merece destaque é com relação aos produtos adquiridos de revendedores. Nesses casos, a política de devolução, troca ou reembolso não é aplicada.

Best Buy

Esse departamento também aceita devoluções ou trocas de compras. Mas pode cobrar uma taxa de devoluções em alguns produtos, como é o caso de celulares, tablets e outros dispositivos móveis.

Para devolver o item, o cliente deve comparecer em qualquer unidade da Best Buy portando o produto, a guia de remessa ou o recibo, o cartão de crédito usado (se foi esse o caso) e um documento com foto.

Mas atenção, itens danificados, amassados ou arranhados podem ter o retorno negado pela loja. Além disso, a devolução pode ser recusada caso os itens não estejam com todos os seus acessórios e embalagens.

Forever 21

Reembolsos e trocas podem ser feitos na Forever 21, mas dentro do período de 30 dias contando a partir da data da compra. Essas devoluções devem ser feitas presencialmente em alguma unidade da loja e o recibo original deve estar presente no ato.

Por correio, a loja só aceita trocas de itens danificados, com defeitos ou incorretos. O reembolso inclui o valor de frete, mas é necessário anexar uma cópia do comprovante na devolução.

Dúvidas e dicas sobre as devoluções de produtos

  • Sempre que possível, peça uma cópia da política de reembolso da loja antes de comprar mercadorias
  • Questione o estabelecimento sobre como o item deve estar para que sua devolução seja aceita
  • Guarde todos os recibos das compras para facilitar o pedido de reembolso
  • O cliente recebe o reembolso de acordo com a forma de pagamento realizado na hora da compra feita nos EUA, sendo em dinheiro ou estorno do valor no cartão.

Qual a melhor maneira de pagar pelas compras no exterior: cartão de crédito, dinheiro ou cartão de débito?

O que parece ser um preço baixo nas prateleiras das lojas norte-americanas pode se tornar em uma enorme dor de cabeça na hora do pagamento. Por essa razão, é importante entender qual é a melhor maneira de pagar pelas compras no exterior.

Afinal, é mais indicado usar o dinheiro? Ou seria mais interessante passar as compras no cartão de crédito ou de débito? Dependendo da forma de pagamento, as taxas adicionais dos produtos acabam interferindo no valor final.

Sendo assim, se faz necessário entender as vantagens e desvantagens das diferentes transações comerciais. Além de economizar um bom dinheiro, você ainda aprende formas seguras de fazer compras fora do país.

Melhor maneira de pagar pelas compras no exterior

Apesar de não existir uma resposta unanime para essa questão, a melhor maneira de comprar é levando duas formas de pagamento. Esse é o método mais seguro para as viagens no exterior, que pode combinar dinheiro, cartão de crédito ou cartão de débito.

A melhor forma de pagar pelas compras no exterior envolve segurança e economia (Foto: pixabay)

Vantagens e desvantagens de levar dinheiro

Nem sempre os pontos comerciais vão aceitar as modalidades de cartão, por isso que o dinheiro vivo sempre será a forma de pagamento mais facilmente aceita nos estabelecimentos.

Das três modalidades, o dinheiro em espécie também é o mais econômico, pois o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) com essa forma de pagamento é somente 0,38%.

Outro ponto positivo é o maior controle de gastos, pois é mais fácil perceber o quanto se está gastando vendo as notas saírem do seu bolso. Enquanto isso, o cartão de crédito e de débito são mais difíceis de controlar.

Mas, apesar desses benefícios, o dinheiro sai perdendo quando o assunto é segurança. Isso porque, uma vez perdido ou roubado, você não terá como recuperar o valor.

Cartão de crédito ou de débito?

O principal benefício dessas modalidades é a segurança, pois caso aconteça algo com os cartões, como roubo, furto ou perda, eles podem ser facilmente bloqueados.

Além disso, alguns cartões de crédito internacionais possuem um sistema de recompensas através das milhas, oferecendo serviços e benefícios aos viajantes que podem ser bastante úteis durante a estadia fora do país.

Mas nem tudo são flores e essas duas formas de pagamento são também as mais caras. O IOF para elas é de 6,38%, taxa acrescida no valor final do produto.

Outro ponto negativo, dessa vez só no cartão de crédito, é o risco do câmbio subir até o fechamento da fatura. Por exemplo, você adquire um produto por um valor X, mas antes de fechar a fatura do cartão, o dólar sobe e, consequentemente, o preço a ser pago pela compra também aumenta. No final das contas, você pode acabar pagando mais do imaginava.

No entanto, alguns tipos de cartão possuem a capacidade de travar essa cotação no dia da compra. Então, é importante consultar a empresa responsável pelo cartão de crédito antes de utilizá-lo na viagem.

Outras opções de pagamento

Além do dinheiro, cartão de crédito ou de débito, você ainda pode optar por outras formas de pagamento são elas: cartão pré-pago ou abrir uma conta no exterior.

A primeira modalidade é simples, basta recarregar o cartão com a quantia que você desejar e usá-lo como um cartão de débito. Apesar do benefício em ter um maior controle de gastos, esse tipo tem um ponto negativo: o IOF cobrado também é de 6,38%, tornando-se um meio caro.

Já a segunda forma pode até parecer complicada, mas é uma saída viável para quem está sempre viajando. Nos Estados Unidos, alguns bancos fazem o processo de abertura de conta totalmente online, como o Chase, Wells Fargo e BB&T, basta escolher aquele que mais atende suas necessidades.

Outro detalhe importante é que existem unidades bancárias brasileiras que facilitam esse processo em países do exterior. Um exemplo disso é o Banco do Brasil, permitindo que clientes abram uma conta no Brasil Americas, sua filial digital nos Estados Unidos.

Clientes do Banco do Brasil podem abrir conta no exterior usando o BB Americas (Foto: Reprodução do site)

Dicas para fazer compras no exterior

  • Para levar dinheiro, o conselho é fazer a troca da moeda ainda no Brasil. Nesses casos, o mais recomendado é buscar por casas de câmbio ou bancos autorizados. Tomando essas precauções você faz a troca por um valor justo e ainda garante a veracidade da moeda
  • Se for levar dinheiro em espécie também lembre-se de distribuir o valor total em vários compartimentos da sua bagagem. Além disso, para aumentar a sua segurança, ande com poucas notas na carteira, portando uma quantia suficiente para usar durante o dia
  • O dinheiro ainda pode ser guardado em algum cofre no hotel, diminuindo as chances de ser roubado ou de perder a quantia
  • É importante lembrar que nem todos os cartões de crédito e de débito funcionam fora do país, para que isso ocorra é necessário que eles sejam da modalidade internacional.

Agora você já está apto para escolher a melhor maneira de pagar compras no exterior, pois já sabe de todas as vantagens e desvantagens de levar dinheiro, cartão de crédito ou de débito.

Mas, lembre-se sempre de levar em consideração pontos como segurança, comodidade e economia nas suas transações internacionais. Por isso, ainda pode escolher as opções de cartão pré-pago ou de abertura de conta fora do país.

Black Friday x Cyber Monday: qual a diferença?

A Black Friday e a Cyber Monday são duas datas muito importantes para o comércio estadunidense. Isso porque, elas marcam o início da temporada de compras de final de ano.

Ambas acontecem logo após o ferido de Ação de Graças, o qual ocorre sempre na quarta quinta-feira do mês de novembro. Nesse caso, a “sexta-feira negra” acontece um dia depois do feriado e a “segunda-feira cibernética” quatro dias após essa data.

No entanto, apesar das similaridades, Black Friday e Cyber Monday possuem diferenças que vão além da data. Veja a seguir cada uma delas e entenda um pouco mais da história desses dois grandes dias para a economia americana.

Black Friday vs. Cyber Monday

A principal diferença entre essas duas datas é o propósito de criação das mesmas. Enquanto a Black Friday foi criada para alavancar as vendas das lojas físicas, a Cyber Monday surge como uma alternativa de crescimento para os varejistas online.

Tanto o Black Friday como o Cyber Monday acontecem após o feriado de Ação de Graça

Inicialmente, o termo “sexta-feira negra” era utilizado pelos policiais da Filadélfia para nomear o tráfego caótico causado pela presença das pessoas um dia antes do jogo de futebol entre Marinha e Exército. Partida essa que sempre era realizada uma vez por ano, no sábado após o Dia de Ação de Graças.

No entanto, na década de 1980 o termo ganhou um novo significado, tornando-se uma data destinada para vendas. Os varejistas começaram a utilizar Black Friday para indicar que com essa data, logo após o feriado, eles saíam do vermelho e seus números de venda iam para o “preto”.

Já a Cyber Monday é bem mais recente, criada apenas em 2005. Nesse ano, a internet ainda não era tão popular como nos dias atuais, mesmo assim já existiam lojas online.

Então, para competir com o dia de descontos das lojas físicas, os varejistas da internet criaram a “segunda-feira cibernética”. A escolha do dia foi feita levando em consideração a preferência dos consumidores, que achavam melhor fazer suas compras enquanto trabalhavam, usando o computador e a internet dos seus escritórios.

Portanto, como diz o site C|net, a Back Friday nasceu de uma necessidade do varejo, enquanto a Cyber Monday surgiu como resposta das lojas online. Atualmente, não há mais essa distinção, uma vez que todos os departamentos aproveitam os dois dias para vender suas mercadorias com descontos.

Mas afinal, qual o melhor dia para comprar?

A resposta para essa pergunta não é tão simplista quanto parece ser, pois a preferência do dia vai depender de diversas variáveis. A primeira delas é sobre qual produto o cliente deseja levar para casa com um menor preço.

Isso porque, dependendo da data, alguns produtos ficam mais baratos que outros. Por exemplo, segundo uma pesquisa feita pela Adobe, a Black Friday será o melhor dia para obter descontos em eletrodomésticos e artigos esportivos. Já quem quer aproveitar os descontos para comprar Tv’s, deve esperar pela Cyber Monday.

No domingo após o Dia de Ação de Graças, apesar de não ter um nome específico, algumas lojas mantém promoções interessantes para o público consumidor. Ainda levando em consideração as informações da Adobe, esse dia é perfeito para comprar brinquedos e computadores.

Mas, além dos preços, o comprador deve levar em consideração um fator muito importante da atualidade: a comodidade. Comprar online é sempre mais cômodo, principalmente sabendo-se da agitação nas lojas físicas norte-americanas na “sexta-feira negra”.

Os estadunidenses levam tão a sério a data de descontos pós-feriado que muitos deles acampam na frente das principais lojas. Assim, eles conseguem entrar primeiro e garantir os melhores descontos.

Caso você não tenha paciência para esperar filas (sim, no plural, pois é fila para entrar na loja, para conseguir o produto e mais uma para pagar), a melhor alternativa é optar pelas promoções da segunda-feira.

Inclusive, a preferência pela compra online tem sido uma tendência nos últimos anos, principalmente pelo maior número de pessoas com acesso à internet.

Para se ter uma ideia, em 2018, as vendas da Cyber Monday atingiram US$ 7,9 bilhões nos EUA. Esse número supera a Black Friday do mesmo ano, a qual chegou a US$ 6,2 bilhões.

Dicas para comprar na Black Friday ou Cyber Monday

Independentemente do dia escolhido para fazer as compras, é preciso estar atento a alguns detalhes que vão lhe poupar tempo e dinheiro. Acompanhe!

  • Verifique os preços antes das promoções: antes de achar que está tudo mais barato e encher o carrinho de compras, é aconselhável acompanhar os preços antigos desses produtos e assim saber se está fazendo um bom negócio. E se não deu tempo olhar antes da promoção, use o serviço da camelcamelcamel. Trata-se de um rastreador gratuito sobre os preços da Amazon
  • Fique atento aos anúncios vazados das lojas: algumas lojas disponibilizam suas promoções antes mesmo da Black Friday ou Cyber Monday. Por essa razão, acompanhe os sites desses departamentos ou até mesmo suas redes sociais e fique por dentro de tudo
  • Dê preferência a lojas menores: caso prefira ir às compras na “sexta-feira negra”, o melhor conselho é preferir as lojas menos visadas. Isso porque, o público consumidor é menor, mas as promoções continuam as mesmas.

Black Friday: o que é e vale a pena comprar nos EUA nesta data?

As viagens para os EUA são ainda mais empolgantes no período próximo da tão famosa Black Friday (sexta-feira negra). Isso porque, essa é uma oportunidade de ouro para quem gosta de comprar e ainda assim economizar um bom dinheiro.

Trata-se de um dia repleto de promoções que acontece na sexta-feira após o Dia de Ação de Graças (Thanksgiving). Para quem não sabe, esse feriado é uma data muito importante no calendário americano e acontece sempre na quarta quinta-feira do mês de novembro.

Apesar de não ser uma época muito favorável para o turismo em si, a semana que ocorre o Black Friday é perfeita para fazer compras. Além da sexta-feira, as lojas também aproveitam para fazer promoções em pequena escala, tanto antes como depois do grande dia de ofertas.

Black Friday nos EUA: vale a pena comprar?

Ao contrário do que muitos pensam, a Black Friday dos EUA é bem diferente daquela que acontece no Brasil. Os preços caem muito nesse dia de oferta e as promoções fazem valer a pena todo o esforço nessa data.

A Black Friday nos EUA ocorre na sexta-feira após o feriado de Ação de Graças (Foto: pixabay)

Não se engane, a sexta-feira de preços baixos movimenta muito o comércio norte-americano. Segundo a Agência EFE, o mesmo período em 2018 superou os prognósticos e as vendas somaram US$ 6,2 bilhões.

Com esse número dá para se ter uma noção do quanto os americanos e até mesmo os turistas aguardam por essa data. Alguns deles até acampam na frente das lojas para conseguir os melhores descontos de produtos.

Mas, como o sucesso da Black Friday nos EUA é grande, alguns departamentos começam a liberar suas ofertas antes mesmo do dia previsto. Assim os consumidores têm mais tempo para pensar e escolher quais artigos vão dar preferência.

Além disso, algumas empresas se dedicam para fazer previsões sobre as compras nesse período, como por exemplo a Adobe. Para ela, a “sexta-feira negra” será o dia para obter os melhores descontos em eletrodomésticos e artigos esportivos.

3 dicas para comprar na Black Friday

Se você vai participar pela primeira vez da Black Friday americana, é importante estar atento a algumas questões. E esses pontos envolvem tanto o antes, como também o durante e o após as compras. Confira três dicas essenciais!

1. Fique de olho nas previsões e planeje suas compras

Como já mencionamos, algumas lojas divulgam suas promoções antes mesmo da sexta-feira. Isso serve para que os clientes percebam o que vai estar na promoção e se vale a pena comprar naquele departamento.

Sendo assim, dê uma olhada nos sites das principais lojas como Walmart, Target, Best Buy etc. Depois, compare os preços desses locais e veja o que você pode comprar economizando um bom dinheiro.

Com a listinha de compras em mãos e sabendo perfeitamente onde comprar, trace um percurso das lojas que você vai visitar. Ah, e mais um toque: prefira sempre as lojas que não são tão visadas, as filas são menores e as ofertas são bem semelhantes.

2. Compre somente o que estiver na sua lista

Os americanos levam muito a sério a sexta-feira de promoções, tanto é que acaba sendo bastante comum ver pessoas acampadas na frente das lojas para conseguir os melhores preços.

Portanto, quando o comércio abre as portas, há literalmente filas quilométricas e muita aglomeração. As vezes, existe até contingente policial para controlar qualquer confusão que possa surgir.

As lojas americanas ficam tumultuadas com a Black Friday (Foto: Reprodução CNN)

Desta forma, você precisa ter foco e determinação para entrar na loja, pegar o que você deseja e ir para o caixa realizar sua compra. Não se perca olhando as ofertas disponíveis, pois a probabilidade do produto da sua lista acabar é grande.

Uma boa dica para conseguir comprar o que quer e ainda assim dar uma olhada nas outras promoções da lojas é ir em grupo. Enquanto um vai atrás do produto principal, os demais podem aproveitar para avaliar se há mais alguma coisa que mereça ir para o carrinho.

3. Cuidado com a alfândega brasileira

Verdade seja dita, comprar é sempre muito bom! Mas, é preciso colocar o pé no freio para que no final as compras não saiam mais caras do que se havia imaginado.

Esse cuidado se deve pelas regras da alfândega brasileira. Para quem não sabe, há uma taxa limite para compras fora do país e ela é de US$ 500. Se você voltar para o Brasil com produtos que passem dessa cota, eles serão taxados e você terá que pagar um imposto sobre eles.

No entanto, não são todos que entram nessa cota. Itens de higiene ou produtos de uso pessoal (celulares, câmera, relógio de pulso), por exemplo, não são contados dentro dos US$ 500, mas eles devem ser únicos e precisam estar fora das caixas.

Aproveitando as compras nos Estados Unidos

O Black Friday nos Estados Unidos abre a temporada de compras de final de ano para os americanos. Além da sexta-feira, muitas lojas também disponibilizam descontos e promoções no sábado e no domingo.

Já na segunda-feira, após o grande dia de compras, há o Cyber Monday. Trata-se de uma nova data de preços baixos e grandes ofertas. Portanto, se você desejar, pode passar esses quatro dias aproveitando os melhores descontos dos Estados Unidos.

Regras da alfândega brasileira: como comprar nos EUA e trazer para o Brasil?

Vai viajar para os Estados Unidos e aproveitar para fazer umas comprinhas? Então, é melhor ficar atento às regras da alfândega brasileira, sabendo o que é ou não permitido trazer para o país na viagem de volta.

Para entender melhor, é importante frisar que aduana, como também é chamada, é um departamento da Receita Federal. Ela é responsável por fiscalizar toda mercadoria que sai e entra no Brasil.

Também é função desse setor cobrar tributos sobre os produtos que são trazidos de fora do país. Nesse sentido, é preciso entender como funciona todas as regras da alfândega antes de embarcar rumo aos EUA.

Pensando em ajudar você que quer viajar tranquilo, separamos cinco das maiores dúvidas sobre o tema. Por exemplo: onde está localizada a aduana? Como funciona o processo no desembarque? O que pode trazer do exterior? Quais são os valores e taxas envolvidas? Acompanhe as respostas!

As alfândegas brasileiras estão nos aeroportos internacionais do país (Foto: pixabay)

Regras da alfândega

Todo passageiro que chega ao Brasil deve desembarcar e passar pelo controle da alfândega. No entanto, muitas pessoas não sabem onde a aduana está localizada, por isso é bom lembrar que todo aeroporto com voos internacionais possui uma unidade da Receita Federal.

Como funciona o processo na aduana?

A alfândega é bem simples, pois há apenas dois caminhos a seguir: fila verde ou fila vermelha. Para saber qual seguir, é preciso ver o que há dentro das bagagens.

Os passageiros devem escolher qual fila seguir de acordo com as regaras da alfândega (Foto: Site da Receita Federal)

Por exemplo, devem ir para a primeira opção os passageiros que estão transportando bens isentos e/ou de consumo e uso pessoal, outros produtos dentro do limite da cota de isenção e valores em espécie de até R$ 10 mil (em qualquer moeda).

Já a fila vermelha é destinada para quem tem bens a declarar, quando o valor das mercadorias ultrapassa a cota. Também devem seguir nesse caminho quem teve sua bagagem extraviada, porta mais de R$ 10 mil ou possui produtos que precisam passar por um controle da Vigilância Sanitária ou de outros órgãos.

Qual o valor máximo para passar na alfândega?

Segundo o próprio site da Receita Federal, a cota de isenção é de US$ 500 por via área ou marítima, e US$ 300 por via terrestre, fluvial ou lacustre. Ela também é individual e intransferível, portanto não pode ser somada, nem mesmo entre familiares.

Mas você pode estar se perguntando: “como posso comprar um celular nos EUA e mesmo assim não ser taxado?” Simples! Existem alguns produtos considerados bens de uso ou consumo pessoal e que por isso não entram nessa cota, como o celular.

No entanto, é preciso trazê-lo fora da caixa e já utilizado. Além disso, se você levar o seu aparelho antigo e adquirir um novo na viagem, no desembarque você irá ser taxado pela compra.

Nesse caso, a interpretação é que uma pessoa não necessita de dois aparelhos, por isso um deles deixa de ser um bem de uso ou consumo pessoal.

Além do celular, um relógio de pulso e uma máquina fotográfica (ainda que possua a função “filmadora”) são considerados bens de caráter pessoal. Apesar disso, precisam estar todos fora das caixas e usados.

Artigos de higiene e vestuário também podem entrar na cota de isenção, mas desde que sua natureza e quantidade sejam compatíveis com as circunstâncias da viagem.

Outras mercadorias possuem limites quantitativos para serem enquadradas na isenção, como:

  • Bebidas alcoólicas: 12 litros no total
  • Cigarros de fabricação estrangeira: 10 maços no total (contendo 20 unidades em cada)
  • Charutos ou cigarrilhas: 25 unidades
  • Fumo: 250 gramas.
É possível comprar até 10 maços de cigarros dentro da cota de isenção (Foto: pixabay)

O que é Duty Free / Free Shop?

Esses termos nomeiam as compras feitas no primeiro aeroporto de desembarque no Brasil. Essa seria uma cota adicional, somando US$ 500 à cota de isenção. Com isso, cada passeiro tem o limite de US$ 1.000.

O que posso trazer do exterior?

Nem tudo o que se vende nos Estados Unidos pode entrar no Brasil e algumas dessas mercadorias podem render multa e/ou prisão ao passageiro. Confira a lista dos itens proibidos pelas autoridades brasileiras:

  • Cigarros e bebidas fabricados no Brasil, destinados à venda exclusivamente no exterior
  • Cigarros de marca que não seja comercializada no país de origem
  • Réplicas de arma de fogo
  • Produtos contendo organismos geneticamente modificados
  • Agrotóxicos, seus componentes e afins
  • Mercadoria atentatória à moral, aos bons costumes, à saúde ou à ordem pública
  • Quaisquer substâncias entorpecentes ou drogas.

Além desses listados pela Receita Federal, há ainda os produtos piratas que devem ser evitados. Para isso, exija sempre a nota fiscal dos produtos comprados no exterior.

Também há itens restritos, que podem ser trazidos para o Brasil, mas que precisam de uma autorização do órgão nacional competente. Por exemplo, animais só sob autorização do IBAMA. Já as armas de fogo devem ser submetidas à aprovação do Exército Brasileiro.

Nesse link da Receita você encontra todos os produtos que não podem entrar no Brasil e todos os que podem, mas precisam de autorização.

Qual a taxa para produtos importados?

Se suas compras custaram mais de US$ 500, você terá que pagar uma taxa de 50% aplicada sobre ao que exceder no limite da cota de isenção. Em outras palavras, se você ultrapassar US$ 200, você deve pagar US$ 100 do imposto.

Mas atenção, não adianta ir para a fila verde da alfândega na tentativa de burlar as regras e não pagar a taxa em cima de seus produtos. Isso porque, se você for pego pela Receita Federal, você vai acabar desembolsando ainda mais dinheiro.

Além do imposto, há ainda uma multa pela falsa declaração. O valor correspondente também é de 50% do excedente de isenção. Pegando o mesmo exemplo a cima, você deveria pagar US$ 100 do imposto sobre o produto e mais US$ 100 de penalidade.

Portanto, se você deseja economizar de verdade é preciso ficar atento aos produtos que valem a pena comprar nos EUA e às regas da alfândega. Seguindo todos os passos corretos, você evita multas e complicações na viagem.

Onde comprar vitaminas e suplementos nos EUA?

Uma das maneiras de aproveitar os preços baixos nos EUA é saber onde comprar vitaminas e suplementos no país. Assim, você economiza um bom dinheiro.

Esses são alguns dos produtos que valem a pena comprar nas lojas estadunidenses, pois a diferença entre os preços brasileiros e norte-americanos pode chegar até R$ 300 em um simples Whey.

Por isso, seja em departamentos físicos ou lojas online, as vitaminas e suplementos nos EUA surpreendem no preço e na alta qualidade. Para saber onde comprar, basta fazer uma rápida pesquisa na internet.

Mas, pensando em facilitar sua busca, o Compre Aqui separou as 10 melhoras lojas para se comprar tais produtos. Na lista há desde lojas especializadas, passando por farmácias e até mesmo outlets. Confira!

Lojas para comprar vitaminas e suplementos nos EUA

GNC

Além de ser uma marca de suplementos, a GNC é também uma das grandes lojas estadunidenses que comercializa esse tipo de produto. Escolhê-la entre as demais é uma tarefa fácil, pois ela oferece diversos benefícios aos clientes.

Uma das lojas mais famosas de suplementos nos Estados Unidos (Foto: Reprodução Facebook)

Por exemplo, se você não está satisfeito com os itens adquiridos, pode entrar em contato com a loja que ela reembolsa o valor investido. Sem falar nos descontos e recompensas que os clientes a mais tempo ganham nas novas compras.

E o melhor, você encontra unidades em todo o país. Para se ter uma ideia, só em Nova Iorque são 30 lojas da GNC. Mas, quem compra online também pode aproveitar as promoções e vantagens exclusivas da loja, como os descontos em fretes.

The Vitamin Shoppe

Você pode encontrar unidades espalhadas pela América (Foto: Reprodução Facebook)

A The Vitamin Shoppe está presente em 47 estados da América. Ao todo são mais de 500 lojas espalhadas no país. Em Miami e Orlando, duas cidades da Flórida que recebem muitos turistas, possuem seis e quatro unidades, respectivamente.

Assim como a quantidade de departamentos, a variedade de produtos também é extensa. A loja especializada nesse seguimento vende vitaminas, suplementos, proteínas, ervas, remédios naturais entre outros.

Walgreens

Conhecida como uma das maiores redes de farmácia dos EUA (Foto: Reprodução Facebook)

É claro que nossa lista não poderia deixar de citar uma das maiores redes de farmácia dos Estados Unidos, a Walgreens. Presente em 53 estados e com diversas unidades em Orlando e Nova Iorque, essa drogaria atende a um enorme público consumidor.

Entre os produtos comercializados por ela estão os suplementos básicos, como cálcio, vitamina D, óleo de peixe e vitamina C. Além de produtos para a saúde da mulher e de regime diário.

Walmart

Outlet com grande variedade de vitaminas e suplementos (Foto: Reprodução Facebook)

A Walmart é tão repleta de variedades que ao mesmo tempo em que compõe uma lista de onde comprar eletrônicos nos EUA, ela também integra as lojas para se comprar vitaminas e suplementos.

Esse outlet pode ser encontrado com muita facilidade nas cidades americanas e na internet. E apesar de unir produtos de diversos seguimentos, possui uma ampla variedade de itens para a saúde.

Target

Loja presente em diversos Estados do território estadunidense (Foto: Reprodução Facebook)

Falando sobre outlet, outro que não pode ficar fora dessa lista é a Target. Aqui você encontra vitaminas pré-natais e para crianças. Também pode achar suplementos para a saúde do coração e os tipos energéticos.

Tudo isso com uma alta qualidade e preços baixos, conforme destaca o próprio site. Mas além de compras online, é possível aproveitar os preços baratos das lojas em varejo.

Melhores sites para comprar suplementos baratos

Same Day Supplements

Nesse site você encontra diversas promoções (Foto: Site oficial)

Como o próprio nome já diz, a Same Day Supplements é especializada em suplementos e outros produtos que facilitam o dia a dia nas acadêmias. Mas também é possível encontrar vitaminas e minerais nesse site.

Entre as mais de 200 marcas comercializadas nessa loja estão a própria Same Day Supplments, a Optimum Nutrition e até a GNC. E o melhor, nas compras acima de US $ 99, o frete sai de graça para os Estados Unidos.

iHerb

Todos os dias é possível encontrar ofertas na iHerb (Foto: Site oficial)

No site da iHerb você tem facilidade para encontrar o que deseja. De fácil navegação, a loja online é dividida em categorias como as de suplementos, ervas e esportes.

Produtos da 21st Century, Optimum Nutrition e Now Foods são alguns dos encontrados nesse departamento. E apesar de norte-americano, ele também envia para o Brasil.

Body Building

A empesa possui até um sistema de reembolso ao cliente (Foto: Site oficial)

Outra grande loja online nesse seguimento é a Body Building. Entre os 50 principais produtos dela estão o Pré Jym, Gold Standard Whey Protein Powder, Pro Jym e BCAA Energy Powder.

Assim como a GNC, a Body também retorna seu dinheiro em caso de insatisfação com o produto, independentemente de qual tenha sido o motivo.

Suppz

O sistema de recompensas dessa loja virtual a faz ser uma boa escolha para compras (Foto: Site oficial)

Os suplementos e as vitaminas na Suppz podem ser ainda mais baratos devido ao sistema de recompensa criado pela loja para retribuir a fidelidade do cliente.

Depois de se inscrever no site, você receberá US $ 1 para cada US $ 20 gastos. E o mais legal é que você pode trocar essa recompensa por descontos na próxima compra, novos produtos ou até mesmo dinheiro.

Ipumpshop

A Impumpshop é ideal para a compra de vitaminas e suplementos (Foto: Site oficial)

Por último, uma loja online ideal para comprar vitaminas, suplementos e até mesmo acessórios fitness: a Ipumpshop. Onde também é possível encontrar produtos naturais.

Todos esses produtos são baratos no site, pois podem ser adquiridos com descontos e promoções especiais. Exemplo disso são as ofertas de 10% de desconto, de compre 1 e consiga desconto de 50% no outro ou de comprar 1 e ganhar outro.

Portanto, seja online ou presencial, encontrar onde comprar vitaminas e suplementos nos EUA é uma boa saída para economizar. Isso porque, os produtos são mais baratos, mesmo apresentando uma boa qualidade.

Onde comprar perfume nos EUA?

Via viajar para os Estados Unidos e quer saber onde comprar perfume por lá? Então você está no lugar certo, pois separamos as 10 melhores lojas para adquirir artigo de perfumaria original.

Não é a toa que há uma grande busca por compras desse segmento. Pela internet conseguimos ver a grande diferença entre os preços dos produtos no Brasil e nos EUA.

Um perfume da Dior de 50 ml, por exemplo, custa em média R$ 400 nas lojas brasileiras. Enquanto que nos Estados Unidos, com o mesmo valor, você consegue comprar um da mesma marca de 100 ml.

Por tudo isso, artigos de perfumaria são alguns dos produtos que valem a pena comprar nos EUA. E aqui você descobre as lojas online e físicas onde se compra barato e confiável.

Melhores lojas para comprar perfume nos EUA

Perfumeland Megastore

A primeira dica é a Perfumeland, uma enorme loja localizada em Orlando e especialista em vender perfumes e outros tipos de cosméticos. E o melhor: os donos são brasileiros e os atendentes falam bem o português.

Loja de brasileiros nos Estados Unidos (Foto: Site Perfumeland Megastore)

Nordstrom Rack

Assim como a anterior, a Nordstrom Rack conta com uma variedade de produtos. Além das fragrâncias, ela também possui peças de vestuário, itens para a casa, calçados e até opções para as crianças.

Ao todo, são 245 lojas nos Estados Unidos e só na Flórida são 16. Sendo assim, quem for para Miami ou Orlando, dois destinos muito procurados, vai poder aproveitar dos preços dessa loja.

Essa loja vende perfumes e outros itens de beleza e vestuário (Foto: Site Nordstrom Rack)

Burlington

Na Burlington você encontra perfumes dos famosos, como o da Rihanna, Paris Hilton e Jessica Simpson. Além disso, é comum encontrar kits de perfumaria. Comprando online ainda é possível aproveitar dos descontos oferecidos pela loja.

Nesse departamento é possível encontrar produtos isolados ou em kits (Foto: Site Burlington)

Victoria’s Secret

A famosa marca de lingerie, Victoria’s Secret, também comercializa itens de perfumaria. Apesar da menor oferta de variedade, os itens comercializados incorporam a essência sexy da marca e fazem o maior sucesso nos Estados Unidos.

A marca possui uma linha exclusiva de perfumes (Foto: Site Victoria’s Secret)

FragranceX

Dolce & Gabbana, Calvin Klein, Christian Dior e Burberry são algumas das marcas que podem ser encontradas na FragranceX. Ao contrário das demais já citadas, essa loja é exclusiva para vendas de perfumes.

Os perfumes comprados online podem sair com descontos (Foto: Site FrangranceX)

Duty Free

Perfumes originais e baratos, descontos online e uma vasta opção de itens para encher o carrinho. Tudo isso é possível encontrar em um só lugar, na Duty Free.

Essas lojas costumam ficar localizadas em aeroportos (Foto: Site Duty Free)

Ross Dress for Less

A Ross é uma das lojas mais conhecidas nos Estados Unidos, por isso está na nossa lista. Além de perfumaria, a empresa também comercializa roupas, acessórios e até mesmo itens de decoração para a casa.

Uma das lojas mais queridas pelo público consumidor nos Estados Unidos (Foto: Site Ross)

Macys

Presente nos Estados Unidos, mas com mercadoria que pode ser enviada ao Brasil, a Mancys é mais uma loja de variedades que também comercializa perfumes e fragrâncias.

Essa loja faz envios para o Brasil (Foto: Site Macys)

Target

Já citamos a Target em outro texto do Compre Aqui, quando o assunto era onde comprar eletrônicos nos EUA. Como pode ser visto, a loja conta com uma variedade de produtos, inclusive de fragrâncias.

São perfumes, colônias, rollerballs, spray corporal, loções e óleos perfumados etc. Tudo isso vendido a preços que cabem no seu bolso.l

Loja de variedades que entre seus produtos também comercializa perfumes (Foto: Site Target)

FragranceNet

No final da nossa lista temos o FragranceNet, loja que como o nome já diz é especializada em perfumaria. No site, você pode encontrar ótimos descontos em kits ou produtos individualizados.

Comprar perfumes online nessa loja é sinônimo de economia (Foto: Site FragranceNet)

O que é preciso saber antes de comprar perfume nos Estados Unidos?

Antes de encher o carrinho de compras nos EUA, é preciso entender como funciona as regras da Alfândega na volta ao Brasil. Isso porque, como os perfumes comprados em lojas norte-americanas são baratos, você pode cair na tentação de trazer muitos na viagem de volta.

No entanto, a Alfândega estabelece um limite de compras nos Estados Unidos para que o brasileiro não corra o risco de ser taxado no desembarque. O valor total não deve ultrapassar US$ 500.

Então, se você está pensando em trazer perfumes para revender ou dar de presente, é importante fazer os cálculos antes. Dessa forma você descobre se ainda assim vale a pena comprar fora do Brasil.

Taxas e impostos estadunidenses

Além das regras da Alfândega, é necessário estar por dentro das taxas e impostos que os Estados Unidos possuem em seus produtos. Por exemplo, nas lojas físicas, o preço da prateleira não é o valor final a ser pago.

Compras no cartão de crédito têm um acréscimo de 6,38%. Além disso, cada estado do país norte-americano possui alíquotas diferentes. Orlando, Miami e Nova Iorque, os três principais destinos dos brasileiros nos EUA, possuem respectivamente 6,5%, 7% e 8,875% referentes aos impostos.

Com tudo isso em mente e sabendo onde comprar perfumes nos EUA, você já vai saber se vale a pena encher o carrinho e quais marcas originais saem mais baratas ao serem importadas.

Lojas online para comprar nos EUA

É inegável o quanto a internet facilita nossas vidas. Com apenas alguns cliques conseguimos encher um carrinho de produtos e aguardar a chegada deles em casa. E claro, é assim que acontece com as lojas online para comprar nos EUA.

A gama de produtos que vale a pena comprar nos departamentos norte-americanos é imensa, passando por eletrônicos, celulares, roupas e até suplementos. E o melhor, com preços que cabem no seu bolso.

Pensando em lhe ajudar na busca por esses pontos comerciais, separamos uma lista com 12 lojas dos Estados Unidos. Entre as opções temos os melhores sites e os mais confiáveis.

A seguir você acompanha nossas sugestões divididas por categorias para facilitar sua busca nas compras do exterior.

Lojas online para compras diversas

Amazon

Loja online para quem busca por variedade e preços baixos

Não é novidade para ninguém que a Amazon é a queridinha norte-americana dos brasileiros. Ela é uma espécie de shopping online, vendendo uma variedade de produtos.

Eletrodomésticos, brinquedos, roupas, celulares e computadores são algumas das mercadorias encontradas nesse site.

Walmart

Os preços da Walmart são tentadores

Já falamos da Walmart por aqui, pois não tem como citar lojas norte-americanas com bons preços e pluralidade em ofertas, sem indicar essa rede de lojas.

No site é ainda mais fácil de encontrar o que você procura, pois os produtos estão categorizados em departamentos. Por lá, é possível encontrar de móveis até roupas.

Melhor site para comprar celulares

Apple

A Apple oferece vantagens para os seus clientes antigos

É impossível não citar a Apple quando o assunto é a venda de celulares. Não só pela alta busca por iPhone, mas também porque ela oferece diversos recursos para seus clientes.

Um desses benefícios é o Apple Trade-in, um programa que possibilita a troca de um iPhone de versões antigas por um crédito para uma nova compra. E você pode saber quanto seu celular antigo vale no próprio site.

Comprar roupas e sapatos no exterior

Calvin Klein

Nessa loja você encontra looks mais sofisticados e casuais

Comprar online na Calvin Klein é sinônimo de ganhar descontos com cupons promocionais dados pelo próprio site. Por essa razão, as compras acabam saindo ainda mais baratas.

Hollister

Uma opção perfeita para o público jovem

Enquanto a Calvin Klein garante um look mais sofisticado, a Hollister vem com uma pegada mais jovem e autêntica. Por essas razões, é uma marca que faz o maior sucesso entre os adolescentes.

Adidas

A loja ideal para quem gosta de praticar esportes

Já quem é adepto ao mundo fitness, não pode deixar de visitar o site da Adidas e aproveitar os preços e descontos nos mais diversos produtos. Além dos famosos sapatos, é possível encontrar também roupas apropriadas para a prática de esportes.

Sites de produtos infantis

Carter’s

Na Carter’s você encontra roupas e fantasias infantis

No site da Carter’s você encontra roupas para crianças de todas as idades, vestindo desde recém nascidos até os de 14 anos.

Isso sem falar nas incríveis promoções que o site possui, como um sistema de pontos com as compras, descontos de até 50% em algumas peças e aquele famoso programa de “leve um e ganhe outro”. Demais, não é?!

buybuyBaby

Os estoques dessa loja americana vão de roupas até mobilha para bebês

Agora se o que você está procurando mesmo é um site completo para enxoval de bebê, então o buybuyBaby é perfeito! A variedade de produtos surpreende, são carrinhos de bebê, assentos de carro, mobilha, fraldas, roupas e até utensílios para aumentar a segurança do seu bebê.

Comprando no site, além da comodidade, você pode economizar com as ofertas disponíveis. Mas, se preferir, a loja ainda dispõe de um recurso de reserva online para que o cliente retire o produto na loja!

Compras de remédios e suplementos

Walgreens

Além de produtos farmacêuticos e cosméticos, essa farmácia trabalha com processamento de fotos

Está precisando comprar algum remédio e suplemento ao mesmo tempo? Ou uma vitamina e alguns produtos de beleza e cuidado pessoal? Então você deve acessar sem medo a Walgreens.

Não é a toa que essa farmácia é considerada uma das maiores e mais populares nos Estados Unidos. Para você ter uma noção, ela ainda faz o serviço de livros fotográficos.

Duane Reade

Essa farmácia faz parte da rede de empresas da Walgreens

A farmácia Duane Reade existe desde 1960, mas em 2010 passou a entregar a rede de empresas da Walgreens. Por essa razão, possui praticamente os mesmos serviços da anterior.

Além de vitaminas, produtos nutricionais e cosméticos, bem comuns em farmácias, a Duane também trabalha com cartões comemorativos e processamento de fotos.

Lojas online para comprar eletrônicos

Best Buy

Preços baixos e eletrônicos modernos

Por fim, mas não menos importante, as melhores lojas online para comprar eletrônicos nos Estados Unidos. E a nossa primeira opção é nada mais, nada menos que a Best Buy.

Também já citamos essa rede de lojas aqui no site, mas não há como não citar quem é referência no universo tecnológico. Por isso, você encontra o que há de mais moderno de televisores, celulares, computadores etc.

B&H

Loja específica de produtos para audiovisual

Fechando nossa lista das 12 lojas online para comprar nos EUA, temos a B&H. Esse site é voltado para quem vive e ama fotografia, apesar de vender outros itens eletrônicos.

A loja online é simples e tem todos os produtos categorizados, facilitando o encontro do item que se deseja levar para casa. Além disso, há diversos descontos em algumas mercadorias.

Onde comprar eletrônicos nos EUA?

Vai viajar e quer aproveitar para adquirir um celular, notebook ou uma câmera nova? Então, você precisa saber onde comprar eletrônicos nos EUA, para conseguir boas ofertas e economizar tempo e dinheiro.

Mas, antes de se esbaldar nas compras, leve em consideração três pontos: o sistema de imposto de cada cidade norte-americana, o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e as regras da Alfândega .

Por exemplo, alguns produtos podem ser mais baratos em determinada cidade do que em outra, mesmo eles apresentando o mesmo valor. Isso porque, os municípios possuem diferentes impostos sobre compras.

Sem contar que nos Estados Unidos, as compras no cartão de crédito têm um acréscimo de 6,38% no ato do pagamento. E no caso da Alfândega, o limite de compras não deve ultrapassar os US$ 500 (com exceção de produtos para uso pessoal).

Lojas de eletrônicos nos EUA

Best Buy, Apple Store e Walmart são alguns dos melhores lugares para se comprar eletrônicos nos Estados Unidos. Veja detalhes sobre essas e outras lojas do país que valem a pena estar em qualquer roteiro de viagem!

Apple Store tem programas especiais para quem já é cliente (Foto: Site da loja)

Best Buy

Best Buy é quase um shopping de eletrônicos. Nas lojas dessa rede você pode encontrar o melhor de diversos seguimentos, como celulares, televisões, tablets, impressoras etc.

Loja norte-americana destinada à venda de eletrônicos (Foto: Site da loja)

Apple Store

É claro que a Apple Store é uma das melhores lojas para se comprar iPhone barato nos EUA. Além disso, possui um programa de trocas que deixa os preços dos produtos ainda mais baratos.

A mais confiável loja para comprar iPhone nos EUA (Foto: Site da loja)

Walmart

Apesar da variedade ser mais restrita no Walmart, comparando-o ao Best Buy por exemplo, esse departamento dá um grande destaque aos eletrônicos. E busca sempre oferecer as melhores e mais populares marcas.

Walmart está entre as três melhores lojas para comprar eletrônicos (Foto: Site da loja)

Target

Assim como a loja anterior, a Target não é exclusiva dessa categoria, mas é possível encontrar bons preços na sessão “Electronics”. Marcas como Apple, Google, Nintendo, Samsung e Canon são fáceis de encontrar.

Target conta com uma variedade de produtos e marcas (Foto: Site da loja)

Games Stop

Agora se você tem uma listinha de compras envolvendo apenas o universo dos videogames, pode aterrissar na Game Stop, lá é seu lugar! Além de ter sessões reservadas para outros aparelhos como smartphones, tablets, televisões etc.

Departamento indicado para quem ama jogos eletrônicos (Foto: Site da loja)

B&H

Já se a sua área é a fotografia, então a B&H é perfeita para suas necessidades! Nesse departamento, você encontra opções de câmeras, lentes, filmadoras entre outros.

A B&H traz tudo de mais tecnológico e funcional para fotógrafos (Foto: Site da loja)

Sears

Televisões, computadores, tablets, videogames e aparelhos portáteis são os produtos encontrados na Sears, a nossa última indicação de onde comprar eletrônicos nos Estados Unidos.

O custo-benefício dos produtos da Sears faz valer a pena visitá-la (Foto: Site da loja)

Qual o melhor site parar comprar dos EUA?

Não há dúvidas de que os eletrônicos são produtos que valem a pena comprar nos EUA. Mas, nem sempre podemos estar em solos norte-americanos, não sendo possível também a compra em lojas físicas.

No entanto, com toda a tecnologia, não precisamos estar em um determinado país para comprar produtos de suas lojas. No caso dos produtos eletrônicos, você tem o site da Amazon como uma boa opção.

Isso sem levar em consideração os sites das lojas citadas nesse artigo. Então, basta apenas fazer uma rápida busca pelos melhores preços e as baixas taxas de envio para o Brasil (mas, sem esquecer da Alfândega).